Conto de enigma – O sorveteiro da Paker

Por Eduarda  Mezetti, Olívia Liz Altit e Victor  Alves – 8º ano D
“Fui chamado para um caso que, a princípio, me parecia insolucionável, porém, mesmo assim, me senti interessado em resolvê-lo. O caso aconteceu em Manchesta e se trata de um homem que apareceu enforcado em uma corda extremamente alta que estava em um quarto sem mobília. Essa ocorrência me interessou, porque não existia nenhuma pista, já que a porta estava trancada, e ela só fechava por dentro, o apartamento é no décimo nono andar, o que descarta a possibilidade de alguém ter entrado e saído pela porta. Quem me chamou para a investigação foi o filho do Mr. Tomas, a vítima, que não morava com o pai.
Aceitei o caso e, logo depois, já estava a caminho de Manchesta, porém demorei quatro horas na viagem. Chegando lá, Matheu, filho do Mr. Thomas, me recepcionou e contou o caso:
— Meu pai era sorveteiro e morava sozinho nesse apartamento, o cômodo estava trancado quando cheguei aqui anteontem e já fazia alguns dias que meu pai não me ligava, o que não era normal. Assim que vi o quarto trancado e supostamente meu pai não estava em casa, ia chamar o chaveiro, achando que a porta pudesse ter quebrado, mas em questão de segundos, me recordei do fato de que todas as fechaduras das portas internas da casa só trancavam por dentro. Acabei ficando desesperado e arrombei a porta do quarto, pois só a porta de entrada tinha chave.
Após uma pequena pausa, ele continuou:
 — Quando a porta abriu, vi meu pai enforcado em uma corda extremamente alta e eu, muito assustado, liguei para a polícia. Eles logo chegaram, mas não fizeram muita coisa, pois não havia pista alguma. Um quarto trancado, uma poça de água e uma corda extremamente alta, isso era tudo que tinham.
— Uma poça de água? – perguntei.
— Sim, quando entrei no quarto havia uma poça de água, mas achei essa informação irrelevante. – Continuou – Esqueci de dizer que meu pai jogava pôquer e fazia algumas dívidas, por isso acredito que o único suspeito seja a pessoa para quem ele estava devendo no momento. A polícia cogitou essa hipótese, mas descobriu fatos e álibis que comprovavam que o sujeito não estava envolvido. Ultimamente, meu pai estava diferente, mas ele não teria coragem de se matar, além disso a corda estava muito alta. Estou perdido, detetive, me ajude!
Minha cabeça estava cheia de dúvidas e antes de ir para o hotel, tive que perguntar uma última coisa:
– Matheu, por que tem esses freezers na casa de seu pai?
– Bem, como já disse, ele era sorveteiro e os produzia aqui em sua casa.
Após a tarde na casa, fui para o hotel pensar no caso, mas logo dormi. Boa parte do caso já havia sido esclarecido naquela tarde, faltavam apenas alguns detalhes.
Na manhã seguinte, o relógio marcava 07:32, quando recebi uma ligação da polícia que pedia que eu fosse até a casa de Mr. Tomas. Como nevava, o carro acabou demorando e me atrasei um pouco, mas foi graças a isso que desvendei o mistério.
Chegando na casa, todos me aguardavam curiosos, pois havia enviado uma mensagem dizendo que havia solucionado o caso, então comecei a contar:
“Ontem, após sair daqui, estava certo de que havia sido suicídio por causa das dívidas, mas não conseguia entender como ele conseguiu alcançar a corda. Então, hoje de manhã, ao ver a neve, tudo fez sentido. Mr. Tomas tinha vários freezers em casa. Assim, fez enormes cubos de gelo, subiu em cima deles e se amarrou na corda, mas, antes, havia trancado a porta. Ele não queria deixar pista alguma e sabia que o gelo iria derreter e a água, secar. No entanto, ele não contava com o fato de que ia esfriar a ponto de nevar, dessa forma obviamente a água não secou tão rápido e o filho dele acabou encontrando uma parte da poça quando chegou aqui”
Todos ficaram abismados e, após mais um caso resolvido, voltei para casa.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑